terça-feira, 12 de novembro de 2019

Life after death / Vida após a morte


Ainda o inverno não se havia despedido quando a raiar a primavera nos aventurámos pela Serra da Lousã, em demanda de veados e outros seres que povoam aquela paisagem montanhosa. Numa clareira criada pelos homens, sob a proteção de um esticado povoamento de pinheiro-de-casquinha (Pinus sylvestres) entre as muitas toiças por ali enraizadas, encontrámos estas, de uma espécie de carvalho, já sem vida, cujos anéis de crescimento nos indicavam que os seus cinco rebentamentos haviam sido cortados quando alcançavam cerca de 30 anos de idade. Nos seus meandros, beneficiando da humidade ali retida e da escassa matéria orgânica em decomposição, tufos de musgo, a fazer lembrar um pequeno “arquipélago verde”, medravam lentamente, fazendo ressuscitar a vida naquele fragmento de morte. 

sábado, 31 de agosto de 2019

Torky



13h05m. No momento em que o astro-rei se encontra no seu zénite, um manto de nuvens encobre-o, tornando céu cinzento. Alheio a este facto, ao longe, Torky, o madrugador Cartaxo-comum, continua a esvoaçar e a cantar, de poiso em poiso, dando-me a oportunidade de o fotografar e de imortalizar o seu espirito.

13h05m.  By the moment the sun is at its zenith, a cloak of clouds covers it, making gray sky. Oblivious to this, a few dozen meters from me, Torky, the Common Stonechat, still fluttering and singing, perch on perch, giving me the opportunity to photograph it and immortalize its spirit …  

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Momentos ... no solistício de Verão ... / Moments in ... in Summer sulstice ...


(...) Sem que nada o fizesse prever, já no lusco-fusco, surgiu uma silhueta acanhada e cautelosa, que de imediato reconheci como sendo de raposa e, que rapidamente, fazendo uso do seu hábito oportunista, se juntou às duas aves de rapina no acto de caçar, sem que aparentemente, nenhuma das duas espécies se mostrasse importunada pelo uso comum do espaço, que de uma forma quase intimista partilhavam (...)

(...) Without that nothing did predict, since the twilight came a shy and cautious silhouette, which immediately recognized as fox, and that quickly, making use of their opportunistic habit, joined the two birds of prey in the act of hunting, without apparently, none of the two species showed bothered by the common use of space, which an almost intimate way shared (...)

terça-feira, 4 de junho de 2019

Kopfüber




Esta foto de uma Louva-a-Deus, captada em Mira, no quintal da minha casa, foi distinguida com uma Menção Honrosa, na categoria “Diversity of all other animals”, no “21º International Competition of Nature Photography Glanzlichter 2019”, o maior concurso de fotografia de natureza alemão e um dos mais prestigiados da Europa. Trata-se da segunda vez que me é atribuído este reconhecimento internacional, neste concurso de fotografia (o primeiro foi em 2017, com a fotografia “Farbsymbiose",  na categoria “The beauty of plants”. Será editado um portefólio com todas as imagens vencedoras. Estas poderão ser vistas em: https://www.glanzlichter.com A história desta imagem é extremamente simples: num final de tarde de primavera, fui até ao meu quintal com o objetivo de fotografar algumas espécies de flores silvestres, entre as quais, papoilas em vários estágios do seu desenvolvimento. Numa delas, encontrei esta ninfa de Louva-a-Deus Mantis religiosa, uma das nove espécies de mantídeos que ocorrem em Portugal. Encontrava-se completamente camuflada nas sépalas de uma papoila, de cabeça para baixo, à espera de uma presa, com as patas dianteiras dobradas próximas do rosto. Este inseto predador têm uma cabeça muito móvel, que gira rapidamente, quando os olhos detetam qualquer movimento. Quando a potencial presa está ao seu alcance, as patas dianteiras empalam-na com os seus espetos e a refeição começa a ser devorada ainda viva.

This photo of a Praying Mantis captured at Mira (Portugal), was awarded with a HIGHLIGHT, in the category" Diversity of all other animals ", in the" 21st International Competition of Nature Photography Glanzlichter 2019 ", the largest German Nature Photography Contest and one of the most prestigious in Europe . This is the second time that I have been awarded with this international recognition in this photography contest (the first time was in 2017, with the photograph "Farbsymbiose" - in the category "The beauty of plants". A portfolio with all the winning images will be edited. You can see the results here: https://www.glanzlichter.com The history of this image is extremely simple: One late Spring afternoon, I went to my backyard to photograph some wildflowers species, including poppies at various stages of their development. In one of them, I found this Praying Mantis nymph Mantis religiosa, one of the nine mantids species that occur in Portugal. It was completely camouflaged on the sepals of a poppy, upside down, waiting for a prey, with front legs folded close to the face. This predator insect has a highly mobile head, that turns quickly when the eyes detect any movement. As soon as the prey is within reach, the spiky front legs shoot out to impale it and the meal begins to be devoured still alive.


sábado, 30 de março de 2019

Papoilas / Poppies


Esta foto, de papoilas em vários estádios de desenvolvimento, captada no Pinhal da Gândara, no concelho de Mira, foi distinguida com o 1º Prémio, na categoria Flora, Líquenes e Fungos, no Concurso de Fotografia de Natureza “Parques e Vida Selvagem 2019”, organizado pelo Parque Biológico de Gaia.
Durante o período primaveril, as suas frágeis pétalas vermelhas embelezam e alegram os nossos campos. Foi o que aconteceu na Primavera do ano de 2018, após o violento incêndio que grassou por terras de Mira, em Outubro de 2017. Visualizá-las, com um céu níveo, dá-me esperança que a Terra ainda poderá continuar a ser um paraíso.

This photo of poppies in various stages of development, captured in the Pinewood of Gândara, in the municipality of Mira, was awarded the 1st Prize in the Flora, Lichens and Fungi category, in the Nature Photography Contest "Parques e Vida Selvagem 2019" , organized by the Biological Park of Gaia. During the spring period, its fragile red petals embellish and brighten our fields. This was what happened in the spring of 2018, after the violent fire that raged through Mira lands in October 2017. To visualize them, with a snowy sky, gives me hope that the Earth can still be a paradise .

segunda-feira, 25 de março de 2019

sábado, 26 de janeiro de 2019

Inseparáveis / Inseparable



Esta imagem de um Pica-pau-malhado-grande, captada a partir do interior da minha casa, foi uma das últimas visões que tive desta espécie de ave peculiar, tímida, difícil de observar e cujo tamborilar é facilmente audível e reconhecível. O seu mundo é indissociavelmente o das árvores. Foi distinguida com o 2º Prémio, na categoria Arte Fotográfica, na 4ª edicção do concurso de fotografia “GENERG – FOTÓGRAFO DE NATUREZA DO ANO 2019”, no IX CINCLUS FEST – Festival de Imagem de Natureza, que teve lugar em Vouzela.

This photo of a Great Spotted Woodpecker captured  from the inside of my home it was one of the last visions I had of this bird species. Peculair, timid, difficult to observe and whose drumming is easily audible and recognizable. Their world is the trees world. It was distinguished with the 2nd Prize in the category Photographic Art, in the 4th edition of the Photo Contest "GENERG – NATURE PHOTOGRAPHER OF THE YEAR 2019", in the IX CINCLUS FEST – Nature Image Festival, which took place in Vouzela, Portugal.

domingo, 6 de janeiro de 2019

Contacto / Contact


... o meu pé, de primata "peludo", atraiu a curiosidade de um Bordalo (Squalius alburnoides), na Ribeira da Isna, próximo da Aldeia Ruiva ... uma das melhores recordações do ano de 2018! 

... my foot, of a "hairy" primate, attracted the curiosity of an Squalius alburnoides, in Ribeira da Isna, near Aldeia Ruiva (Portugal) ... one of the best memories of the year 2018! 

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

O último Pica-pau / Last Woodpecker


... antes que me vá ... memórias da vida ... não chores ... um dia voltaremos a estar juntos ... a tamborilar ... a rir ... a voar ... na floresta ... finalmente em casa ... na twilight zone ...

... before I go ... memories of life ... don't cry ... one day we'll be together again ... drumming ... laughing ... flying ... in the forest ... finally at home ... at twilight zone ...

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Lusco-fusco na lagoa / Twilight in the lagoon


... um momento de transição entre o dia e a noite ... em silêncio ... na Lagoa de Mira ...

... a moment of transition between day and night ... in silence ... in the Lagoa de Mira ...

O aguilhão ... / The sting ...


... do lacrau ...

...of the scorpion ...

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

domingo, 26 de agosto de 2018

Seis meses após Ofélia / Six months after Ophelia


Esta foto, captada em Mira, muito próximo da minha casa, foi distinguida com o Prémio Acções - Alterações Climáticas, na 2ª edicção do concurso nacional de fotografia 2018 “A ÁRVORE”, patrocinado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e pelo Parque Biológico de Gaia.
Após o trágico incêndio ocorrido em 15 de Outubro de 2017 e, apesar da secura que se prolongou pelo outono dentro, o inverno e a primavera pluviosa que se lhe seguiram, contribuíram para que os campos da Gândara ficassem coloridos com uma grande variedade de cores de diversas espécies de plantas que alegraram efemeramente uma terra devastada pelo fogo. Entre elas, a Tremocilha (Lupinus luteus), com as suas flores amarelas contrastaram fortemente com a negrura esquelética dos milhões de árvores que morreram de pé, numa representação da luta eterna entre a morte e a vida …

This photo, taken at Mira, very close to my home, was awarded the Prize, in “Actions - Climate Change” category, in the 2nd edition of the 2018 National Photography Contest "THE TREE".
After the tragic fire that occurred on October 15, 2017, and despite the dry weather that continued throughout the Autumn, the rainy winter and spring that followed, contributed to the Gândara fields being colored with a great variety of colors of several species of plants that effemingly rejoiced a land devastated by fire. Amongst them, the Yellow lupine (Lupinus luteus), with their yellow flowers contrasted strongly with the skeletal blackness of the millions of trees that died standing, representing the eternal fight between death and life ...